Desembargador Sirangelo é aprovado em sabatina na CCJ do Senado

Indicado para representar o segundo grau da Justiça do Trabalho no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o desembargador Flavio Portinho Sirangelo, do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS), foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, em sabatina realizada na manhã desta quarta-feira, em Brasília. Agora, o magistrado aguarda o aval do Plenário da Casa (a matéria  foi encaminhada com requerimento de votação em regime de urgência) e a nomeação pela presidente Dilma Rousseff. A presidente do TRT da 4ª Região, desembargadora Maria Helena Mallmann, acompanhou a sessão. O juiz do Trabalho da 10ª Região (DF/TO) Rubens Curado também foi aprovado como representante do primeiro grau no CNJ.

Em pronunciamento durante a sabatina, Sirangelo falou da importância de os Tribunais concentrarem esforços na eficiência da administração judiciária, encarando-a como ciência necessária para garantir qualidade e celeridade na prestação jurisdicional –  especialmente no atual cenário de 90 milhões de processos em andamento. Também destacou, dentre outros tópicos, a conciliação como eficiente meio de solução dos conflitos e a formação continuada dos magistrados. Relator do processo de indicação do desembargador Sirangelo, o senador Pedro Simon defendeu o nome do magistrado para compor o Conselho.

No segundo momento da sabatina, o desembargador respondeu aos questionamentos dos senadores. Dentre os diversos assuntos abordados, afirmou a necessidade de o Judiciário dialogar com o Legislativo para a criação de projetos de lei que visem a racionalizar e desburocratizar a tramitação dos processos, para que os julgamentos sejam mais céleres. Também disse ser favorável à atualização da Lei Orgânica da Magistratura Nacional (Loman) e à vitaliciedade dos juízes – a qual não considera uma garantia do magistrado, e sim da sociedade.

O desembargador ainda se manifestou favorável à revisão da matéria que trata da pena de aposentadoria compulsória, com proventos proporcionais ao tempo de exercício no cargo, aplicada a magistrados e membros do Ministério Público como punição a faltas graves. Defendeu, também, programas e iniciativas voltadas à prevenção de acidentes de trabalho, o cumprimento da Meta nº 18 (julgamento, por parte das Justiças Estadual e Federal, dos 121.850 processos relacionados à improbidade administrativa e aos crimes contra a administração pública distribuídos até 2011) e a criação de mecanismos processuais para maior celeridade dos processos previdenciários na Justiça Federal.

O nome do desembargador Sirangelo foi indicado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) em 22 de maio. O magistrado integra o quadro do TRT da 4ª Região há mais de 25 anos, sendo o primeiro da lista de antiguidade da Corte.  Ingressou no Regional em 1987, em vaga reservada ao Ministério Público do Trabalho pelo Quinto Constitucional. No biênio 1998/1999, exerceu a presidência do TRT4 e, no biênio anterior (1996/1997), atuou como vice-presidente. Foi o primeiro diretor da Escola Judicial do TRt da 4ª Região, exercendo o posto de dezembro de 2006 a novembro de 2010. Ainda presidiu as Comissões de Informatização, de Jurisprudência e de Regimento Interno do Tribunal, além da 2ª, 5ª e 7ª Turmas julgadoras. Atualmente, preside a 7ª Turma e a 2ª Seção de Dissídios Individuais do TRT4, compondo também o Órgão Especial.

Natural de Porto Alegre, o magistrado formou-se em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul em 1977. Exerceu a advocacia desde a graduação até 1985, quando tomou posse como procurador do Trabalho. Sua formação acadêmica inclui, ainda, os títulos de especialista em Administração Judiciária e de mestre em Direito, ambos adquiridos em instituições de ensino norte-americanas.

Fonte: Gabriel Borges Fortes (Secom/TRT4). Foto: Reprodução da TV Senado.

Deixe seu comentário

Confira nossa página especial sobreDireito do Trabalho Empresarial

Acesse aqui

Escritório do Tamanho do Brasil

35 anos de experiência na advocacia atuando em todos os estados do país.

13.000
Clientes

27.122
Casos

R$
116.079.949
Obtidos para nossos clientes