Imposto de bebidas vai subir, para compensar queda na arrecadação

O governo decidiu aumentar os impostos de bebidas frias, como águas, cervejas e refrigerantes, para compensar a renúncia fiscal de R$ 60,4 bilhões do pacote de estímulo à competitividade industrial.



Segundo a Agência Brasil, a informações foi dada pelo secretário executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa.



"Desonerações que têm impacto no Orçamento em curso devem ser compensadas. Isso virá de um mix de aumento de arrecadação, crescimento da economia e aumento de outros tributos. Estamos corrigindo a tabela de preços das bebidas, o que fazemos todos os anos. A cobrança é um valor sobre o tipo de embalagem. É reajustado todo ano com base em levantamento de preços de consultoria contratada pelo governo", explicou Barbosa.



Valor do reajuste

Com relação ao valor do reajuste, o secretário não adiantou de quanto será e também não falou das outras medidas compensatórias.



Barbosa informou que o valor do reajuste será divulgado no Diário Oficial da União, da próxima quarta-feira (4). No que diz respeito aos cigarros, o secretário informou que não haverá aumento nos preços e que o governo já havia anunciado, no ano passado, um reajuste do imposto do produto, que entra em vigor este mês.

Deixe seu comentário

Escritório do Tamanho do Brasil

35 anos de experiência na advocacia atuando em todos os estados do país.

13.000
Clientes

27.122
Casos

R$
116.079.949
Obtidos para nossos clientes