Vale a pena vender as férias?

15/02/2012 1 minuto de leitura
Onze meses de trabalho e só 30 dias para descansar. Não é à toa que muita gente espera o ano todo pelas férias. Mas, tem gente que se cansa de tanto descansar e resolve trocar este período por dinheiro.



De acordo com o advogado Marcelo Arcos, responsável pelo núcleo trabalhista do Escritório Garrastazu Advogados, de Porto Alegre, a venda de parte das férias deve ser sempre uma decisão do empregado e nunca do empregador.



"O funcionário deve comunicar a empresa até quinze dias antes da data de aniversário do contrato. Cabe ao empregador definir apenas o período do ano em que as férias serão concedidas e pagar o valor proporcional aos dez dias em que o funcionário vai trabalhar", explica o advogado.



Como exemplo, Marcelo Arcos cita o caso de um trabalhador que ganha R$ 600 por mês. "Ao tirar 30 dias de férias, ele recebe o salário antecipado, mais um terço dos rendimentos. Ao todo: R$ 800. Mas, se vender dez dias das férias recebe outros R$ 200 relativos a dez dias de trabalho: R$ 1 mil ao todo", acrescenta.



O advogado alerta também que vender um terço das férias é o máximo permitido por lei. "Se o ganho financeiro não for necessário, o trabalhador deve levar em conta também a necessidade do descanso", aconselha Arcos.



"A venda só visa remediar questões financeiras do empregado, mas, esse acúmulo ao longo da sua relação de trabalho vai trazer prejuízos à sua saúde e é por isso que a Legislação proíbe essa venda de mais de um terço das férias", conclui o advogado.

Advocacia Online e Digital
Acessível de todo o Brasil, onde quer que você esteja.

Enviar consulta

A qualquer hora, em qualquer lugar: nossa equipe está pronta para atender você com excelência.

Continue lendo: artigos relacionados

Fique por dentro das nossas novidades.

Acompanhe nosso blog e nossas redes sociais.

1
Atendimento via Whatsapp
Olá, qual seu problema jurídico?
Garrastazu Advogados
Garrastazu Advogados
Respondemos em alguns minutos.
Atendimento via Whatsapp

Atenção Clientes da Garrastazu

Prezados clientes,

Devido às recentes enchentes que afetam significativamente a Região Metropolitana, informamos que o atendimento presencial na sede da Garrastazu Advogados em Porto Alegre estará suspenso.

Nossa prioridade é garantir a segurança de todos. Enquanto trabalhamos para normalizar a situação, nossa equipe continuará prestando assistência jurídica de forma remota. Todos os nossos serviços continuam operando com a mesma qualidade e eficiência através dos nossos canais digitais e telefônicos.

Para quaisquer dúvidas ou necessidades urgentes, por favor, não hesitem em contatar-nos.

Agradecemos pela compreensão e estamos à disposição para auxiliar no que for necessário durante este período.

Atenciosamente,

Sucesso!
Lorem ipsum dolor sit amet

Pensamos na sua privacidade

Usamos cookies para que sua experiência seja melhor. Ao continuar navegando você de acordo com os termos.

Aceito
Garrastazu

Aguarde

Estamos enviando sua solicitação...