Imunidade de contribuição previdenciária é conquistada por aposentada em Porto Alegre

Servidora municipal inativa de Porto Alegre/RS conquista na Justiça o direito à imunidade de contribuição previdenciária. Prevista no art.  40, §21, da Constituição Federal, a norma estabelece que a  contribuição previdenciária é devida somente sobre as parcelas de proventos de aposentadoria e pensão que superem o dobro do limite máximo estabelecido para os beneficiários do regime geral de previdência social. Isso significa que, caso a servidora inativa receba menos que o dobro do limite máximo para os beneficiários do regime geral de previdência, não é possível que a contribuição seja retida pelo Departamento Municipal de Previdência.

A falta de lei que regulamente o conceito de doença incapacitante não é suficiente para que seja descumprido o comando constitucional, uma vez que existe lei federal (Lei 7.713/88) que concede isenção de imposto de renda para as doenças incapacitantes, alegou o juiz da ação.

Segundo Carlos Horácio Bonamigo Filho e Alexandre Bubolz Andersen, sócios da Garrastazu Advogados, escritório que cuidou do caso,  "o servidor inativo, seja da União, Estado ou Município, portador de doença incapacitante e que está sofrendo a retenção da contribuição previdenciária sobre seus proventos, deve procurar advogado para o ajuizamento de ação judicial, a fim de que seja cumprido o seu direito garantido pela Constituição Federal".

Deixe seu comentário

Confira nossa página especial sobre Direito Tributário

Acesse aqui

Escritório
do tamanho
do Brasil

Dispomos de correspondentes em todos os Estados do Brasil, o que nos permite uma atuação nacional

A Garrastazu conta com 3 sedes próprias estrategicamente localizadas para atender demandas em todo o País.

Atendimento via Whatsapp

Tire suas dúvidas agora.

Respondemos em alguns minutos.

Podemos Ajudar?