O que configura uma União Estável?

O QUE CONFIGURA UMA UNIÃO ESTÁVEL?
Imagem: Freepik

Uma união estável é uma formada por duas pessoas que vivem como se casadas fossem, ainda que inexista um instrumento jurídico formalizando-a. Ou seja, presentes os requisitos que a esculpem, emergirão os direitos e obrigações aos companheiros, independentemente de sua vontade, mas como simples efeito da aplicação da lei.

Para sua configuração, é indispensável a presença dos seguintes requisitos: i) publicidade, ii) durabilidade, iii) continuidade e iv) intuito de constituição de família.

A publicidade é detectada quando a relação é de amplo conhecimento de pessoas do convívio social e familiar dos companheiros, que os tratam como se casados fossem. A durabilidade não pressupõe um “tempo X” para que seja aferida a união, mas o suficiente para que o casal estabeleça uma vida e rotina conjugais. A continuidade aponta para a necessidade de um relacionamento permeado por estabilidade, não sendo da natureza de uma união estável términos frequentes e corriqueiros, demandando-se um certo grau de constância.

Por fim, o que, afinal de contas, seria esse elemento denominado “constituição de família”? Quais, afinal, as diferenças entre um namoro e uma união etável, equiparada constitucionalmente ao casamento?

Qual o seu problema jurídico? Converse com a gente

O casal de namorados nada mais faz do que compartilhar momentos, anseios, alegrias e tristezas cotidianas, buscando projetar a relação de afeto em um próximo (ou nem tanto assim) futuro, testando, assim, a viabilidade prática de evoluirem para um noivado, casamento ou a uma união estável.

Não há, no namoro, a genuína comunhão de vidas, de projetos, de planos, de interesses familiares. Namorados aparecem juntos em festas, fotos, viagens, eventos sociais e geralmente frequentam um a família do outro, perifericamente. O afeto os envolve, mas não há, neste estágio, concretude maior conferida ao projeto conjunto de formação de uma família.

Já na união estável, a família está formada. Não se planeja, se constata! Há a formação de um novo núcleo familiar, mediante objetivos comuns, concessões mútuas e abdicações de projetos individuais antigos, já que não consonantes aos da união.

Eis a comunhão de vidas e o intuito de constituição de família.

Terem ou não filhos, coabitarem ou não os companheiros, não serão fatores cruciais para a formação de uma união estável, mas sim o nível de comprometimento de uma vida à outra.

Qual o seu problema jurídico? Converse com a gente

Cristiana Gomes Ferreira

Cristiana Gomes Ferreira

cristiana@garrastazu.com.br

Doutora e mestre em Direito Privado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Sócia-coordenadora do núcleo de Direito de Família e Sucessões da Garrastazu Advogados. Ex-Presidente do Instituto de Direito do Estado do Rio Grande do Sul. Diretora da Associação Brasileira de Direito e Economia. Diretora executiva do Instituto Brasileiro de Direito de Família, seccional do Rio Grande do Sul (IBDFAM/RS). Professora do Curso de especialização em Direito e Economia da UNICAMP. Professora do Curso de Especialização em Análise Econômica do Direito da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Professora do Curso de especialização em Direito de Família e Sucessões da Faculdade do Ministério Público (RS) e em diversas instituições. Palestrante na área de Direito de Família e Sucessões. Autora do livro Análise Econômica do Divórcio - Contributos da Economia ao Direito de Família (Livraria do Advogado Editora - 2015). Autora de artigos jurídicos na sua área de atuação. Mediadora judicial em formação pela Clínica de Psicoterapia e Instituto de Mediação (CLIP) e pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul (TJRS). Contato: cristiana@garrastazu.com.br

Ver perfil completo

Deixe seu comentário

Confira nossa página especial sobre Direito de Família e Sucessões

Acesse aqui

Escritório
do tamanho
do Brasil

Dispomos de correspondentes em todos os Estados do Brasil, o que nos permite uma atuação nacional

A Garrastazu conta com 3 sedes próprias estrategicamente localizadas para atender demandas em todo o País.

Atenção Clientes da Garrastazu

Fomos informados que golpistas estão se apresentando como sócios ou advogados vinculados a Garrastazu Advogados, trazendo falsa informação aos nossos clientes acerca de alvarás que teriam sido emitidos em seus nomes decorrentes de êxitos em processos patrocinados pela equipe da Garrastazu. Os estelionatários prometem que haverá liberação imediata destes alvarás na conta bancária dos clientes, mas solicitam, para viabilizar o levantamento do alvará, depósitos a títulos de "custas" (inexistentes) em contas que são dos próprios golpistas.

Cuidado! Não agimos desta forma. Alertamos que qualquer pagamento à Garrastazu Advogados só pode ser efetuado mediante depósito em conta bancária da própria Garrastazu Advogados. Jamais em contas de terceiros, sejam pessoas físicas, sejam pessoas jurídicas.

Estamos sempre à disposição por meio dos contatos oficiais anunciados em nosso “site”, que são os únicos canais legítimos de contato de nossa equipe com o mercado.

Atendimento via Whatsapp

Tire suas dúvidas agora.

Respondemos em alguns minutos.

Podemos Ajudar?