Especialistas alertam para punição injusta por palmada

Psicólogos e terapeutas familiares ouvidos pela Folha dizem que a Lei da Palmada -que pune pais que aplicam castigos físicos nos filhos- é viável, mas o mau funcionamento dela pode gerar excessos na punição a infratores.



Para que não aconteça um efeito "caça às bruxas", será necessário treinamento de profissionais de saúde e do Judiciário.



Aprovado na Câmara anteontem, o texto prevê como pena até o afastamento dos pais do convívio com os filhos



"Se a lei acontecer, não pode ser transformada numa coisa do outro mundo. Mais importante do que um trauma é a interpretação dele. De repente, acontece uma palmada, alguém vê e denuncia e isso é interpretado como se fosse um crime dos pais, e não é o caso", diz a psicóloga Giselle Groeninga, do Instituto Brasileiro de Direito de Família.



Para ela, que é contra o tapinha, as varas de família do país precisam de melhor treinamento para lidar com as questões de violência.



Numa eventual acusação de violência, por exemplo, será preciso avaliar inclusive se o castigo de fato existiu.



"Há, às vezes, uma confusão entre o que é fantasia e o que é realidade por parte das crianças num caso de agressão. Isso terá que ser avaliado por psicólogos", diz.



A professora da Faculdade de Educação da Unicamp Ângela Soligo diz que os Conselhos Tutelares vão precisar ser qualificados. "Mas isso não é ruim. O que é fundamental é o bom-senso", diz Ângela.



Os conselhos são responsáveis por receber e encaminhar à Justiça casos de maus-tratos de crianças.



Ela diz que o tapinha é inviável. "O tapa é uma boa definição de castigo, que contém a criança e não ensina, só provoca medo", diz.



Para a terapeuta familiar Vivien Ponzoni, só avaliações caso a caso poderão definir se o pai cometeu ou não excesso. "Qualquer agressão, seja por tapa ou queimando com cigarro, é agressão. Como vai ser aplicada a lei, depende de trabalho qualificado". Segundo a relatora da Lei da Palmada, Teresa Surita (PMDB-RR), os profissionais devem saber identificar casos de agressão. Para isso, diz, será preciso capacitação.

Deixe seu comentário

Confira nossa página especial sobre Direito de Família e Sucessões

Acesse aqui

Escritório
do tamanho
do Brasil

Dispomos de correspondentes em todos os Estados do Brasil, o que nos permite uma atuação nacional

A Garrastazu conta com 3 sedes próprias estrategicamente localizadas para atender demandas em todo o País.

Atenção Clientes da Garrastazu

Fomos informados que golpistas estão se apresentando como sócios ou advogados vinculados a Garrastazu Advogados, trazendo falsa informação aos nossos clientes acerca de alvarás que teriam sido emitidos em seus nomes decorrentes de êxitos em processos patrocinados pela equipe da Garrastazu. Os estelionatários prometem que haverá liberação imediata destes alvarás na conta bancária dos clientes, mas solicitam, para viabilizar o levantamento do alvará, depósitos a títulos de "custas" (inexistentes) em contas que são dos próprios golpistas.

Cuidado! Não agimos desta forma. Alertamos que qualquer pagamento à Garrastazu Advogados só pode ser efetuado mediante depósito em conta bancária da própria Garrastazu Advogados. Jamais em contas de terceiros, sejam pessoas físicas, sejam pessoas jurídicas.

Estamos sempre à disposição por meio dos contatos oficiais anunciados em nosso “site”, que são os únicos canais legítimos de contato de nossa equipe com o mercado.

Atendimento via Whatsapp

Tire suas dúvidas agora.

Respondemos em alguns minutos.

Podemos Ajudar?