Iniciativas ajudam a prevenir violência doméstica

Prevenir tem sido a palavra de ordem para muitos magistrados que atuam em causas envolvendo a violência contra a mulher. Exemplo disso é uma campanha iniciada por Olivia Ribeiro, juíza titular da Vara de Violência Doméstica e Familiar de Rio Branco, no Acre. No ano passado, a magistrada mapeou as regiões de seu estado com alto índice de agressões. E, a partir daí, planejou uma série de atividades para chamar a atenção para o problema.



A primeira delas foi a realização, em março último, de uma cicleata. Mais de 600 pessoas - entre cidadãos e magistrados - participaram do circuito, que envolveu as sedes do Tribunal de Justiça, da Delegacia da Mulher e do Governo do Estado. Olivia deu sequência ao projeto com visitas a escolas, onde realiza palestras nas quais aborda questões como patriarcalismo, machismo e a história dos movimentos no Brasil, até à edição da Lei Maria da Penha.



Desde março, a magistrada foi a 16 escolas. As palestras destinam-se aos alunos, mas é aberta a comunidade em geral. A juíza aproveita essas ocasiões para divulgar o concurso que criou de redação e frases contra a violência doméstica. As escolas que participam da iniciativa terão de escolher os três vencedores e enviar os trabalhos para a magistrada até o fim de agosto.



"Vou unir todos os envelopes e encaminhar para a Academia Acreana de Letras, que vai selecionar o primeiro, segundo e terceiro colocados das redações e frases", explicou. A ideia, de acordo com Olívia, é premiar os vencedores do concurso em uma conferência sobre a Lei Maria da Penha que a magistrada pretende organizar até novembro.



Olívia ainda tem outras idéias para disseminar a Lei Maria da Penha. Uma delas é criar uma vara da violência doméstica e familiar itinerante. "Temos constatado que há um numero significativo de audiência em que as partes não têm dinheiro para se deslocar para o fórum. Minha ideia é basear esta vara itinerante em uma escola e proporcionar atendimento pela Defensoria Pública e equipe multidisciplinar", planeja.



Escolas - Outro exemplo de projeto que visa a prevenir a violência contra a mulher é o Maria Vai à Escola, criado em 8 de maio último - Dia Internacional da Mulher - pelo juiz Nelson Melo, da 1ª Vara Especial da Mulher do Maranhão. A iniciativa consiste em visitar colégios da rede pública de ensino e realizar palestras para os estudantes sobre a Lei Maria da Penha.



Melo conta que as palestras se destinam aos alunos a partir do último ano do ensino fundamental até o médio. Nessas ocasiões, são debatidas questões como igualdade de gênero e respeito às mulheres. De acordo com o juiz, as escolas visitadas geralmente são as das regiões que registram o maior índice de violência contra a mulher. A ideia é formar multiplicadores. "Nossa expectativa é que os próprios adolescentes estimulem a cultura da não violência no âmbito familiar e doméstico e que eles mesmos multipliquem as formas de prevenção", afirmou o magistrado.


Autor: Jurisite- Notícias Jurídicas
Data: 09/08/2012 - Hora: 13:28:11

Deixe seu comentário

Confira nossa página especial sobre Direito de Família e Sucessões

Acesse aqui

Escritório
do tamanho
do Brasil

Dispomos de correspondentes em todos os Estados do Brasil, o que nos permite uma atuação nacional

A Garrastazu conta com 3 sedes próprias estrategicamente localizadas para atender demandas em todo o País.

Atenção Clientes da Garrastazu

Fomos informados que golpistas estão se apresentando como sócios ou advogados vinculados a Garrastazu Advogados, trazendo falsa informação aos nossos clientes acerca de alvarás que teriam sido emitidos em seus nomes decorrentes de êxitos em processos patrocinados pela equipe da Garrastazu. Os estelionatários prometem que haverá liberação imediata destes alvarás na conta bancária dos clientes, mas solicitam, para viabilizar o levantamento do alvará, depósitos a títulos de "custas" (inexistentes) em contas que são dos próprios golpistas.

Cuidado! Não agimos desta forma. Alertamos que qualquer pagamento à Garrastazu Advogados só pode ser efetuado mediante depósito em conta bancária da própria Garrastazu Advogados. Jamais em contas de terceiros, sejam pessoas físicas, sejam pessoas jurídicas.

Estamos sempre à disposição por meio dos contatos oficiais anunciados em nosso “site”, que são os únicos canais legítimos de contato de nossa equipe com o mercado.

Atendimento via Whatsapp

Tire suas dúvidas agora.

Respondemos em alguns minutos.

Podemos Ajudar?