Tribunal decide que falta de carinho e atenção leva a perda do poder familiar

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul julgou um recurso de apelação interposto por C. B. dos S. e A. P. R. B em face do Ministério Público Estadual.



Trata-se de ação de destituição do poder familiar por abandono afetivo. Em primeira instância, o pedido foi julgado procedente. Os requeridos recorreram ao TJ/MS.



Julgamento - O relator, desembargador Luiz Tardeu Barbosa Silva, manteve a sentença e julgou pelo improvimento recursal. A Quinta Câmara Cível acompanhou seu posicionamento.



Segundo os julgadores, "a perda do poder familiar, prevista no artigo 1.638 do Código Civil, é medida que se impõe quando demonstrado o total abandono do menor por seus genitores, que deixaram de lhe prestar os necessários cuidados, como carinho e atenção após o nascimento prematuro, indispensáveis ao seu desenvolvimento saudável, em total descumprimento das obrigações previstas na Constituição Federal e no Estatuto da Criança e do Adolescente".


Autor: Fato Notório
Data: 09/08/2012 - Hora: 14:27:28

Deixe seu comentário

Dispomos de
correspondentes em todos
os Estados do Brasil, o que
nos permite uma
atuação nacional

A Garrastazu conta com 3 sedes
próprias estrategicamente
localizadas para atender
demandas em todo o País.
Dessa forma, conseguimos
manter a excelência de nosso
trabalho com dinamismo e
articulação processual.

Para manter nossos clientes sempre em primeiro lugar
e suprir nossas demandas com qualidade precisamos de um

escritório do tamanho do Brasil