Walmart pagará indenização por contratar adolescente como caixa

O Tribunal Superior do Trabalho condenou o WMS Supermercados do Brasil Ltda. (WalMart) a pagar uma indenização por danos morais no valor de R$ 7 mil a uma ex-funcionária. A empregada, menor de idade, trabalhou como operadora de caixa no supermercado, mas a atividade é proibida a menores em norma coletiva de trabalho.


Inicialmente, a indenização foi pedida em um processo trabalhista na 4ª Vara do Trabalho de Curitiba (PR). A jovem contou que foi admitida no supermercado aos 16 anos, entre abril e maio de 2014. A convenção coletiva de trabalho proibia que menores exercessem a função de caixa. A Justiça determinou uma indenização de R$ 7 mil, mas o Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região (PR) reduziu o valor para R$ 2 mil.


A trabalhadora recorreu ao TST e destacou a quantidade de ações trabalhistas movidas contra o supermercado. Segundo a relatora do recurso, ministra Maria Helena Mallmann, o supermercado impôs à menor de idade uma função que exige manipulação de valores, violando norma coletiva, e colocou-a também para realizar serviço prejudicial à sua moralidade, "diante da venda a varejo e manuseio usual de bebidas alcoólicas". OTST restabeleceu a sentença inicial, e a jovem receberá R$ 7 mil de indenização.


Procurado, o Walmart Brasil esclareceu "que os procedimentos adotados em suas unidades ocorrem em total respeito aos seus empregados e à legislação vigente". Em relação ao caso julgado, segundo o supermercado, "trata-se de um fato isolado".


Fonte: Jornal Extra

Deixe seu comentário

Confira nossa página especial sobre Direito do Trabalho Pessoa Física

Acesse aqui

Escritório
do tamanho
do Brasil

Dispomos de correspondentes em todos os Estados do Brasil, o que nos permite uma atuação nacional

A Garrastazu conta com 3 sedes próprias estrategicamente localizadas para atender demandas em todo o País.

Atenção Clientes da Garrastazu

Fomos informados que golpistas estão se apresentando como sócios ou advogados vinculados a Garrastazu Advogados, trazendo falsa informação aos nossos clientes acerca de alvarás que teriam sido emitidos em seus nomes decorrentes de êxitos em processos patrocinados pela equipe da Garrastazu. Os estelionatários prometem que haverá liberação imediata destes alvarás na conta bancária dos clientes, mas solicitam, para viabilizar o levantamento do alvará, depósitos a títulos de "custas" (inexistentes) em contas que são dos próprios golpistas.

Cuidado! Não agimos desta forma. Alertamos que qualquer pagamento à Garrastazu Advogados só pode ser efetuado mediante depósito em conta bancária da própria Garrastazu Advogados. Jamais em contas de terceiros, sejam pessoas físicas, sejam pessoas jurídicas.

Estamos sempre à disposição por meio dos contatos oficiais anunciados em nosso “site”, que são os únicos canais legítimos de contato de nossa equipe com o mercado.

Atendimento via Whatsapp

Tire suas dúvidas agora.

Respondemos em alguns minutos.

Podemos Ajudar?