Mulher indenizará ex-convivente por atribuição falsa de paternidade

A Sexta Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios condenou uma mulher a indenizar, por danos morais e materiais, seu ex-convivente, em razão de falsa atribuição da paternidade de sua filha.



Caso – Informações do TJ/DFT explanam que as partes foram conviventes em união estável por dois anos – a criança nasceu durante este período. Após o término da relação, exame de DNA comprovou que o homem não era pai da criança.



Por tal motivo, arguindo má-fé da ex-companheira, ele ingressou com ação pleiteando indenização por danos morais em razão da infidelidade e da atribuição falsa de paternidade. O homem também requereu o ressarcimento integral de todos os gastos efetuados durante a constituição da união estável.



Acórdão – O colegiado do TJ/DFT não acolheu o pedido de ressarcimento dos gastos efetuados durante a união estável, como aluguel, vestuário e outras despesas com a ex-convivente. A corte entendeu que tais gastos foram motivados por valores sentimentais.



A decisão de segundo grau, contudo, reconheceu o dever de ressarcimento de gastos com a criança (plano de saúde, mensalidades escolares, consultas pediátricas e compra de mobiliário infantil), visto que houve ato ilícito voluntário da ré, que atribuiu falsamente a paternidade ao autor.



A Sexta Turma do TJ/DFT também julgou procedente o pedido de indenização por danos morais em razão da falsa atribuição de paternidade – o colegiado entendeu que houve violação dos deveres de lealdade e respeito exigidos do casal numa relação de união estável e, também, ofensa e humilhação do homem diante de familiares, amigos e colegas de profissão.



Indenização – O TJ/DFT, desta forma, determinou que a mulher indenize o ex-convivente em R$ 8.872,62, referente aos gastos com a menor, e, ainda, R$ 10 mil por danos morais.


Autor: Fato Notório
Data: 17/08/2012 - Hora: 14:06:53

Deixe seu comentário

Confira nossa página especial sobre Direito de Família e Sucessões

Acesse aqui

Escritório
do tamanho
do Brasil

Dispomos de correspondentes em todos os Estados do Brasil, o que nos permite uma atuação nacional

A Garrastazu conta com 3 sedes próprias estrategicamente localizadas para atender demandas em todo o País.

Atenção Clientes da Garrastazu

Fomos informados que golpistas estão se apresentando como sócios ou advogados vinculados a Garrastazu Advogados, trazendo falsa informação aos nossos clientes acerca de alvarás que teriam sido emitidos em seus nomes decorrentes de êxitos em processos patrocinados pela equipe da Garrastazu. Os estelionatários prometem que haverá liberação imediata destes alvarás na conta bancária dos clientes, mas solicitam, para viabilizar o levantamento do alvará, depósitos a títulos de "custas" (inexistentes) em contas que são dos próprios golpistas.

Cuidado! Não agimos desta forma. Alertamos que qualquer pagamento à Garrastazu Advogados só pode ser efetuado mediante depósito em conta bancária da própria Garrastazu Advogados. Jamais em contas de terceiros, sejam pessoas físicas, sejam pessoas jurídicas.

Estamos sempre à disposição por meio dos contatos oficiais anunciados em nosso “site”, que são os únicos canais legítimos de contato de nossa equipe com o mercado.

Atendimento via Whatsapp

Tire suas dúvidas agora.

Respondemos em alguns minutos.

Podemos Ajudar?