Tribunal dá segunda chance a mãe que perdeu as filhas na justiça

A 1ª Câmara de Direito Civil do TJ converteu um julgamento em diligência, determinando a suspensão, por seis meses, de sentença que estabeleceu a perda do poder familiar de uma mãe sobre duas filhas. Nesse período, as duas filhas permanecerão com ela, já que, conforme alegou sua defesa, houve melhora da conduta materna. As meninas e a mãe passaram todo o recesso forense juntas e, após esse período, os laudos dos profissionais da Justiça indicaram melhora na possibilidade de convivência.



Por tal razão, o Tribunal decidiu dar o prazo, com acompanhamento técnico ininterrupto. Quando encerrar o período, o Ministério Público - autor do pleito - deverá receber o processo e enviá-lo ao relator da apelação, desembargador Carlos Prudêncio, para decidir acerca da perda definitiva - confirmação da sentença -, ou não, do poder familiar da mãe sobre as pequenas. Prudêncio destacou que "a destituição do poder familiar importa em decisão extrema, somente permitida em casos nos quais os pais não têm condições de sustento, guarda e educação dos filhos, não possibilitando o desenvolvimento sadio da sua prole [...]".



Os autos dão conta que havia situação de abandono e negligência evidenciada. Todavia, em razão das melhoras apresentadas pela genitora, que, juntamente com seu companheiro, mostrou-se disposta a acolher e cuidar dignamente das meninas, foi concedido o prazo. "[ante] a aparente melhora na situação da mãe das menores, entendo de fundamental importância que os autos baixem em diligência para que seja realizada a reaproximação de mãe e filhas, com o devido acompanhamento pela equipe especializada, pelo período de [6 meses], a fim de averiguar se as mudanças observadas na vida da apelante são reais e duradouras" , arrematou o relator. A votação foi unânime.




Autor: TJSC
Data: 23/04/2012 - Hora: 15:59:52

Deixe seu comentário

Confira nossa página especial sobre Direito de Família e Sucessões

Acesse aqui

Escritório
do tamanho
do Brasil

Dispomos de correspondentes em todos os Estados do Brasil, o que nos permite uma atuação nacional

A Garrastazu conta com 3 sedes próprias estrategicamente localizadas para atender demandas em todo o País.

Atenção Clientes da Garrastazu

Fomos informados que golpistas estão se apresentando como sócios ou advogados vinculados a Garrastazu Advogados, trazendo falsa informação aos nossos clientes acerca de alvarás que teriam sido emitidos em seus nomes decorrentes de êxitos em processos patrocinados pela equipe da Garrastazu. Os estelionatários prometem que haverá liberação imediata destes alvarás na conta bancária dos clientes, mas solicitam, para viabilizar o levantamento do alvará, depósitos a títulos de "custas" (inexistentes) em contas que são dos próprios golpistas.

Cuidado! Não agimos desta forma. Alertamos que qualquer pagamento à Garrastazu Advogados só pode ser efetuado mediante depósito em conta bancária da própria Garrastazu Advogados. Jamais em contas de terceiros, sejam pessoas físicas, sejam pessoas jurídicas.

Estamos sempre à disposição por meio dos contatos oficiais anunciados em nosso “site”, que são os únicos canais legítimos de contato de nossa equipe com o mercado.

Atendimento via Whatsapp

Tire suas dúvidas agora.

Respondemos em alguns minutos.

Podemos Ajudar?